Skip to content

Para que servem músicas bregas?

Segunda-feira, 11 - Maio, 2009

Copiar é uma arte sem precedentes. Tem que saber fazer. Revisitar alguma coisa então… putz!

Quando se fala em cover, vem na cabeça Emerson Nogueira; pelo menos aqui na região (ou no Brasil). Mas, não… não é disso que falo. Não é um cover no violão; que eu – minha opinião – acho sem graça e que não acrescenta nada a música que está sendo cantada.

Legal é versão de uma música. E eu adoro bandas que fazem isso, como a The Bad Plus que fazem versões em jazz acústico de grandes clássicos como Flim (do Aphex Twin, versão original), Heart of Glass da Blondie – considerada uma das 500 músicas mais importantes de todos os tempos.

Mas, acho que toda banda já fez versões de outras… a releitura é o mais doido. Entretanto, o mais legal é a releitura de músicas ‘bregas’ ou que,  no mínimo, destoam bastante do genêro da banda que faz a versão. E o ‘mais melhor de bão’ é o quanto essas versões melhoram a música original quase sempre.

Tenho dois exemplos. O primeiro é de uma banda que simplesmente acho que será uma das mais influentes nas tendências do futuro:  Franz Ferdinand. Um bando de escoceses tímidos que fazem uma música meio anos 80, mas bem dançante e de uma pegada única. Então, eles ouviram a música Womanizer, dos produtores The Outsyders, interpretada pela Britney Spears… aí, olha o resultado:

Simplesmente deu um ar de rock na música que não tem noção; e que foi muito fracamente, no meu ponto de vista, explorada pela Britney e sua turma.

O outro exemplo é a música Heart of Glass, que citei acima; interpretada pela Nouvelle Vague – vale a pena ouvir mais dessa banda. Ficou uma versão tão interessante e dançante – além de muito diferente da original.

Agora fica a dúvida: releituras de músicas bregas são melhores que as bregas em si? E nem falei de altas versões legais de músicas bregas que são feitas no Brasil e são perfeitas.

Eu acho que sim. Graças a Deus existem as música bregas!

Anúncios
One Comment leave one →
  1. Felipe permalink
    Terça-feira, 19 - Maio, 2009 13:54

    Diego,

    Eu sou fã de versões também, ainda mais quando alteram totalmente a música original, trazendo uma leitura diferente (e não só uma regravação).

    Ainda não vi o vídeo do Nouvelle Vague, prometo fazer em breve.
    O do Franz Ferdinand, eu só não achei tão legal porque não curto Britney Spears, mas ficou legal.

    Abs,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: