Skip to content

Vê se dá um jeito nesse jeitinho

Segunda-feira, 9 - Novembro, 2009

E o Brasilzão hein? Lula dizendo que vai recomendar o SUS ao Obama. Campeonato Brasileiro mais sensacional da história. O país atropelou a crise. O Presidente mais querido pelo seu povo. Caças e submarino nuclear vindo aí. Protógenes sendo suspenso. Número de estudos sobre o país crescendo em universidades americanas. Pré-sal comendo solto… parece que todo dia descobrem uma reserva de petróleo suficiente para abastecer suprir o consumo norte americano por todo um Pré-Cambriano. Livro sobre os Sarneys. Juventude do PMDB protestando (olha aí Marina) contra o lançamento do livro. O STF tirando senador do cargo e dando posse a outro. Um país democrático, de povo soberano, com O CARA no comando. Fomos recompensados. Copa 2014 e Olimpíadas 2016. Viva!


Viva é o caralho, mermão! Olimpíada e Copa de cu é rola. O país do jeitinho nunca vai tomar jeito. Não podemos esquecer que o país do jeitinho é também o país do superfaturamento e da corrupção, e a cidade sede do evento de 2016 é – além de cidade do jeitinho – também sede da malandragem. Nada contra o Rio, acho ótimo. Nem nada contra o povo. Tenho amigos que são de lá. Minha implicância é só com a malandragem. Wilson, abs.

Eu sou contra qualquer gasto público desnecessário. Seja no Rio de Janeiro, seja em São Paulo, seja em Butiatuvinha, bairro tranquilo e muito charmoso da cidade de Curitiba, onde se encontra o primeiro condomínio horizontal da cidade, chamado Vila Romana. E veja bem, eu sou fanático por esportes. Até cara ou coroa. Se tiver disputa, eu vejo. Com certeza estarei na Copa, em vários jogos, mas em 2014 eu pretendo ter dinheiro para ir a um jogo de Copa do Mundo em qualquer país. Não precisava ser no Brasil para contar comigo.

copa2014

Aqui no Brasil, como vimos no Pan2007, sofremos com o problema de o que custa R$1 acaba tendo um superfaturamento de 1.000% (hum mil por cento), segundo a ESPN Brasil. Eita, porra! Logo depois do Pan, anunciaram que os Jogos Mundiais Militares (wtf?) de 2011 acontecerão também no Rio de Janeiro e o Governo já avisou: mais R$313mi na lixeira em investimentos, segundo o Ministério da Defesa.

Para se ter uma idéia do dinheiro que será gasto com reformas e construções, o Engenhão, Estádio OLÍMPICO João Havelange, passará por reforma para se adequar as exigências, pasme, olímpicas, gastando aproximadamente R$300mi. E ele acabou de ser construído. O Maracanã, que foi construído no paleolítico, passará pela 70126ª reforma. Estádio com cadeiras, que serão quebradas, destruídas e, provavelmente, usadas como arma em dias de jogos. A menos que o nível social e econômico do público nos estádios aumente consideravelmente. Mas primeiro precisam convencê-los de que o estádio é seguro.

Semana passada foi presa uma quadrilha que atuava fraudando licitações. Porra. Como? Fraudar uma licitação não deve ser algo tão fácil assim. E eles pretendiam fraudar licitações para a Copa e Olimpíadas. Se o fato de que sediaremos dois grandes eventos continuar levando pessoas para a prisão, o legado de 2014 e 2016 será muito maior e melhor do que os jornalistas esportivos que só falam besteira esperam. Mas não é sempre que o mocinho vence. Um dos acusados pelo TCU como responsável pelo superfaturamento do Pan2007, Ricardo Leyser, continua trabalhando no Ministério dos Esportes e agora cuidará das obras das Olimpíadas 2016. De acordo com Eduardo Paes, “Ricardo Leyser é um senhor executivo”. Não dá pra confiar em alguém com Laser no nome. Bastar googlar no nome do sujeito pra ver a coisa é um pouco suja. Afinal, não é qualquer um que usa a furadeira mais cara do mundo em uma obra de Pan-Americano.

O Engenhão, que foi orçado em R$60 milhões, custou R$400mi. A madeira da pista do velódromo foi importada da Sibéria (hahahahahaha, é sério) e ninguém usa aquela porcaria. Parque aquático Maria Lenk parece piada, pois não vai servir para a competição olímpica.

Todos sabem que existe superfaturamento, todos sabem que vai acontecer, já acharam alguns culpados, mas a coisa não muda. Na verdade, parece que a maioria não liga. Afinal, o que são 300 milhões de REAIS numa reforma do Engenhão (que como falei deveria ter custado R$60mi e saiu por quase sete vezes o valor inicial) para um país com um PIB de um trilhão de DÓLARES? Nada, não é? PIB não é dinheiro em caixa, a galera se esquece disso.

Advertisements
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: